screen1.png

intro.png
Esse é um jogo que eu chamaria de Quick Game. Foi feito em exatos dois dias.
O motivo de eu tê-lo criado é que eu queria testar e estudar o sistema de batalha do Falco, e também treinar o meu inglês.
Por isso é um jogo que não tem muita história, nem muitos diálogos. Possui uma jogabilidade rápida e não é difícil chegar ao seu fim.
O motivo do jogo estar em beta, é que eu não sei se todos os textos estão corretos.
Antes de mais nada, eu preciso questionar com alguém que saiba inglês fluente, ou até uma pessoa cujo inglês seja língua natural para eu consertar possíveis erros.
sinopse.png
Quando uma pessoa morre, ela tem a opção de ajudar outras pessoas a atravessarem para o outro lado. Pessoas que topam esse tipo de serviço, trabalham para o Ghost Department e são chamadas de Ghost Agents. Os agentes viagam pelo tempo e espaço para derrotar e guiar almas resistentes de pessoas que não conseguiram fazer a travessia. A história foca nos agentes Ciel, Sonmi e Atlas, que vão caçar os fantasmas de um hotel, e descobrir o que aconteceu por lá.
personagens.png
ciel.png
Ciel Baudelaire
★1976 - ✝ 1995
Não sabe a causa de sua morte.
atlas.png

Atlas Reinder
★1948 - ✝ 1973
Morreu de overdose por drogas.

sonmi.png
Sonmi Ikiteru
★2165 - ✝ 2180
Morreu por acidente de nave.

screenshots.png
screen4.png

screen3.png

screen2.png

download.png
(Necessita do RTP)
Versão sem as músicas que eu incluí na Music Box:
(Também necessita do RTP)
Luuh ~





Historia:

No mundo de OFF, você controla um cara que se denomina The Batter e diz ter uma missão sagrada:Purificar o seu mundo dos espectros!
Você está na Zona 0 de um mundo inicialmente confuso mas que vai se revelando aos poucos.
Existem mais 3 zonas e o The room.
  • Existem dois finais mas é fácil de conseguir ambos.
  • Tem que saber um pouco de inglês porque tem muitas falas.
  • Possui batalhas mas são fáceis.
  • Possui quests um pouco difíceis mas não impossíveis.
  • Você salva em um quadrado laranja.

Personagens:


Imagem Postada

THE BATTER
O herói misterioso, bastante calmo e aparece como um homem em roupas de um batedor de baseball e com um amor igual para bastões de beisebol. Ele foi designado para uma missão sagrada, justa, e somente você, leitor, pode ajuda-lo a cumpri-la.

Imagem Postada

THE JUDGE
Esse gato falante aparece na zona 0 e começa a te ajudar na sua missão dando a pata quando as coisas ficam um pouco confusas.


Imagem Postada

ZACHARY
O primeiro e único "comerciante de itens tradicionais" deste jogo, o homem mascarado Zachary, usa muitas oportunidades para insultar você e o batter de sua missão, mas eles sempre está em lugares acessiveis para te ajudar.











Imagem Postada

Essa musica vai te convencer a jogar!

Uma amostra em video


Download


Luuh ~







Você já deve ter se deparado com esta analogia cafona um sem-número de vezes: "a internet é como um oceano". Sim, a internet é um verdadeiro oceano de informações, cultura e entretenimento. E, para navegar neste oceano e ter acesso a tudo o que ele é capaz de oferecer, nos tornamos reféns dos chamados motores de busca (search engines); mais precisamente, do mais famoso deles, o Google.
Porém, ao contrário do que muitos pensam e por razões que fogem ao conhecimento da maior parte dos internautas, o Google, e outros mecanismos de busca populares, não são capazes de lhe mostrar exatamente tudo o que existe na rede mundial de computadores.
Na verdade, mecanismos como o Google, o Bing e o Yahoo são capazes de lhe mostrar apenas o que há na superfície deste oceano, ou seja, uma parte muito pequena do que realmente é a Internet.
Infográfico DeepWeb 

Exagero? Nem um pouco...

Para se ter uma ideia melhor do quão superficial é sua experiência na Web ao utilizar um desses mecanismos de busca, vamos apresentar um dado realmente impressionante: um estudo feito pela Universidade da Califórnia no ano de 2001, estimou que toda a Internet apresentada pelos mecanismos de busca corresponde a bem menos de 1% do tamanho real. A conclusão é que a "internet invisível" é entre 400 e 550 vezes maior do que estes mecanismos nos fazem crer.
A falta de indexação de todo este conteúdo nos motores de busca populares ocorre por inúmeras razões:
  • Determinação do dono do conteúdo: existem algumas 'metatags' (tipo de instrução HTML) que podem ser usadas no cabeçalho de um site para instruir os mecanismos de busca a não indexar seu conteúdo, tornando-os, desta forma, inacessíveis ao grande público.
  • Violação de algum termo de indexação: os mecanismos de busca podem deixar de indexar um site se o mesmo infringir algumas de suas regras. Por exemplo, um sitemap1 mal feito.
  • Dificuldade de acesso ao conteúdo dinâmico: A maior parte das informações da Web estão enterradas muito abaixo das páginas geradas de maneira dinâmica. Motores de busca tradicionais criam seus índices rastreando páginas de "superfície". Para serem descobertas, as páginas devem ser estáticas e ligadas a outras páginas. Motores de busca tradicionais não conseguem "ver" ou recuperar este conteúdo já que, tecnicamente, não existem até que sejam criados dinamicamente conforme o resultado de uma pesquisa específica. Ou seja, indexadores de mecanismo tradicionais não podem sondar abaixo da superfície.
  • Efeito "publicidade": Com o intuito de "melhorar" a exibição de publicidade, os desenvolvedores dos motores de busca mais populares têm investido pesadamente na personalização dos resultados. Para tanto, são usados diversos artifícios: desde simples cookies de sessão até associação com serviços de e-mail e redes sociais que, literalmente, lêem suas mensagens em busca de palavras que possam ser relacionadas a propaganda personalizada. 

    A ideia é tentar, a todo custo, identificar seus hábitos de uso para poder exibir a publicidade que melhor se encaixa em seu perfil pessoal. 

    Para se ter uma ideia de como estão as coisas hoje em dia, duas pessoas distintas que fazem uso assíduo de redes sociais, costumam fazer determinados tipos de pesquisa com frequência, nunca apagam cookies do navegador e, principalmente, permanecem logadas com nome de usuário e senha a estes mecanismos e seus respectivos servidores de e-mail, certamente não receberão o mesmo resultado de pesquisa para um termo qualquer que for digitado. Ou seja, o mecanismo de busca não estará exibindo, como inicialmente você poderia imaginar, todos os resultados para seu termo de busca, mas sim os resultados que ele "entende que sejam os melhores para você"! Isso faz com que boa parte dos resultados para sua pesquisa permaneçam inacessíveis.

    Resultados de pesquisa diferentes
    Um mesmo termo de busca no Google  pode gerar resultados diferentes para diferentes perfis de pessoas. Na imagem, é visível a diferença entre os screenshots tirados por duas pessoas diferentes aqui na redação do Superdownloads 
  • Conteúdo "Proibido": Muitos sites são automaticamente ignorados ou 'desindexados' pelos mecanismos por apresentarem conteúdo ofensivo ou potencialmente perigoso. Nesta categoria, encaixam-se redes criminosas de todos os tipos como sites de terroristas, de nazistas, de pedófilos e de incentivo a violência por discriminação. Sites de hackers, crackers e de compartilhamento de malwares de todos os tipos também encontram-se abaixo da superfície da internet visível. Sites com conteúdo hediondo, como muitos sites nazistas, de sociedades satânicas e de diversos tipos de bizarrices como zoofilia, necrofilia e snuff também fazem parte do conteúdo "inacessível".

A besta tem 7 nomes...

Abaixo da superfíce (Surface Web), existe uma internet totalmente desconhecida pelo usuário comum. Este mundo submerso e misterioso é, normalmente, mencionado através dos seguintes termos:
1. Deep Web (Web Profunda);
2. Deep Net (Rede Profunda);
3. Invisible Web (Web Invisível);
4. Under Net (Abaixo da Rede);
5. Hidden Web (Web oculta);
6. Dark Net (Rede sombria);
7. Free Net (Rede Livre)

Fazer uma busca por estes termos no Google irá lhe trazer bastante informação útil, mas não vai levar você muito além do nível "água no joelho". Para acessar o conteúdo profundo é necessário usar escafandro e ficar muito esperto com os monstros abissais que certamente irão se apresentar.

Até onde vai a toca do coelho?

red pill, blue pill, matrix, morpheus, neo, choice, escolha, mistério, submundo
Se você chegou até este ponto da matéria, certamente já deve ter percebido que os mecanismos de busca tradicionais não irão lhe ajudar muito a desvendar o conteúdo oculto da internet. Mas não é só isso: os navegadores também não!
Na verdade, a Deep Web é um território "perigoso", onde o risco de contaminar-se com um vírus ou ter o computador invadido por hackers e crackers é muito maior. Além disso, boa parte do conteúdo está encriptado, o que requer ferramentas diferentes para acessá-lo. Por isso, navegadores comuns irão restringir automaticamente determinados tipos de conteúdo ou simplesmente não vão carregá-los pois, em sua maioria, estão repletos de miniaplicativos e add-ons que visam "garantir" sua segurança: filtros anti-phishing, anti-popup, níveis de segurança por zona, etc...
Sendo assim, a melhor forma de começar a desbravar este território inóspito é esquecer a forma tradicional de acesso, fugindo de ferramentas populares e se precavendo ao máximo!
Utilizar uma máquina virtual, ao invés dos recursos nativos do seu computador, é uma boa ideia. Assim, se algo acontecer, basta deletar a máquina virtual e nada de importante será perdido. Tudo de ruim que puder vir a ocorrer (infecção por vírus, invasão por rootkit, etc, só irá contaminar a máquina virtual). Outra vantagem de se recorrer às máquinas virtuais é que você não vai ficar paranóico com instalação e configuração de programas antivírus, firewalls, anti-spywares, etc... Afinal de contas, fazendo desta forma, tudo o que é importante vai ficar inacessível e bem longe do alcance dos perigos do mundo Deep.

Sobre máquinas virtuais

Existem alguns programas capazes de "emular" um PC inteiro dentro de uma janela do Windows (ou de outro sistema operacional). Você literalmente roda dois sistemas operacionais distintos simultaneamente em um mesmo computador.
Para saber mais sobre o assunto, visite:


Após instalar a máquina virtual, o próximo passo é, literalmente, mergulhar dentro da Deep Web.


The Onion Router (ou simplesmente Tor)

A navegação anônima é a sua principal ferramenta para desbravar o conteúdo da Deep Web. A primeira razão para navegar desta forma é que fica um pouco mais difícil para hackers e sites com conteúdo nocivo efetuarem um ataque direto contra seu computador. A segunda razão é que, dependendo do que você for visitar, existe a possibilidade de você ser redirecionado para sites com conteúdo criminoso. Portanto, navegar sem a proteção do anonimato, pode colocá-lo na mira de organizações de investigação criminal de todo o mundo.
Existem inúmeras ferramentas que podem ser instaladas em seu computador para a navegação anônima. Porém, uma das melhores é o Tor.
O Tor (https://www.torproject.org/) é, na verdade, uma rede de computadores que visa prover anonimato através de túneis HTTP e roteadores que funcionam a partir de máquinas de usuários comuns conectadas à internet e que rodam uma versão servidor da aplicação.
Para navegar dentro desta rede, é necessário a instalação da versão cliente do programa para que seja criado um proxy que se conecta a ela. Feito isso, navegadores e programas que se conectam à internet (Internet Explorer, Emule, Bittorrent, etc.) devem ser configurados para usar um servidor do tipo "proxy socks 5" com endereço de destino no próprio computador, ou seja, IP 127.0.0.1. Em sua maioria, programas que fazem uso da internet possuem abas de configuração onde é possível fazer este tipo de modificação.
A partir de então, o Tor roteia todo o tráfego da conexão do cliente através dos túneis da rede até o destino desejado. Desta forma, se o usuário visitar um site do tipo http:\\meuip.com.br (que serve para identificar seu IP na internet), vai receber uma resposta diferente do IP real do computador. O IP apresentado será, no caso, o endereço IP do nó Tor por onde o tráfego de rede "saiu" para acessar o conteúdo da "rede convencional".
A rede Tor possui uma topologia bastante caótica e você não tem como saber qual IP será destinado a sua navegação ou a que parte do mundo tal IP pertence.
Além disso, existe um tipo de domínio com extensão ".onion" que é acessível apenas pelos clientes Tor. Aliás, foi a partir dos sites ".onion" que nasceu a expressão "Deep Web". Tentar acessar tais sites por um navegador comum irá resultar em erro.

Links para sites da Deep Web são parecidos com estes:

http://kpvz7ki2v5agwt35.onion 
(The Hidden Wiki - Contém toneladas de informações sobre sites Tor)


(Motor de busca para sites Deep Web)

(Pesquisa em diretório dentro da Internet profunda)

http://jhiwjjlqpyawmpjx.onion 
(Tormail, gratuito para envio de mensagens anônimas) 

(Mensagens instantâneas anônimas)

http://eqt5g4fuenphqinx.onion/ 
(Core .onion, pesquisa em diretório)

Existem sites na Deep Web (".onion") que abordam os mais variados tipos de assunto: desde treinamento de guerrilha e armamentos até lojas virtuais de drogas e outros itens ilegais. O conteúdo é vasto, chocante e, muitas vezes, indigesto! Por razões "óbvias", exibimos apenas os links acima para que você possa iniciar sua jornada.


Navegador Tor

Felizmente, existe uma maneira mais fácil de desbravar a Deep Web através do Tor, sem a necessidade de configurações complicadas. Tudo o que você precisa está em nossa área de downloads, e se resume ao Tor Browser.
Fique ciente, porém, que a navegação através dele é lenta. O motivo é a já mencionada e intrincada rede de túneis que são gerados para lhe garantir o anonimato.

Outras fontes interessantes

Deixando um pouco de lado o conteúdo "sombrio", apresentamos algumas fontes interessantes que podem levá-lo além do que o Google é capaz de lhe mostrar. Com estes mecanismos, a "água vai até a cintura" :-)
1. DeepPeep: Serviço idealizado para gerar resultados não captados por motores de busca comuns. Ainda em fase beta, portanto, pode apresentar problemas.
2. MetaCrawler: Exibe, em sua tela de resultados, uma pesquisa conjunta em vários mecanismos de busca tradicionais. A vantagem é que você não fica limitado aos resultados de pesquisa personalizados que mencionamos anteriormente, além, é claro, de receber muito mais informação por termo digitado.
3. Oth.net: Motor de busca especializado em procurar por arquivos em servidores FTP do mundo todo. Tem, literalmente, de tudo.
4. Duck Duck Go: Para quem leva teoria da conspiração a sério e torce o nariz para utilizar serviços de empresas como Google, Yahoo e Microsoft, o Duck Duck Go é uma boa alternativa para ser usado como mecanismo de busca principal.
5. InfoMine: Motor de busca desenvolvido por um grupo de bibliotecas Norte Americanas, dentre elas a da Universidade da California e da Universidade de Detroit. Lá você encontra muita informação interessante, como periódicos eletrônicos, livros, boletins, listas de discussão, catálogos de bibliotecas on-line, artigos, diretórios de cientistas e pesquisadores, etc.
6. The Virtual Library: É considerado um dos mais antigos catálogos da Web. Foi desenvolvido por alunos de Tim Berners-Lee, o próprio criador da Web. A caixa de pesquisa funciona como um motor de busca tradicional. Divirta-se!
7. Complete Planet: Um dos melhores buscadores não-populares. Nele, você encontra uma variedade realmente grande de assuntos que vão desde comidas e bebidas até assuntos militares.
8. Infoplease: Um buscador para enciclopédias, almanaques, atlas e biografias em geral

Considerações finais

A Deep Web é realmente um assunto muito vasto. Infelizmente, é necessário bastante conhecimento em outras línguas para poder fazer uso de todo seu potencial e, para mantermos a matéria em um nível mínimo de legalidade, não pudemos abordar alguns tópicos realmente polêmicos e extremamente difundidos nas profundezas da Internet. Mas esperamos que, com as informações passadas aqui, você possa aumentar exponencialmente sua cultura e conhecimento sobre este mundo louco em que vivemos. E tudo está lá, nas profundezas... É só procurar!
Luuh ~




Gente to trazendo essa creepypasta bem conhecida ... e quem tem preguiça de ler tem um vídeo no final do texto 

Seu tempo Acabou 

Uma menina estava sentada em seu quarto. Ela tinha o cabelo castanho com pequenas tranças bagunçadas, assim como seus olhos castanhos que olhava para a porta. Ela abraçou sua girafa de pelúcia bem perto de seu pequeno corpo enquanto ouvia os gritos altos da discursão entre de seu pai e sua mãe.
-Eu nunca deveria ter feito nenhum desses filhos – Gritou uma voz alta masculina – Tudo que eles fazem é reclamar e rabiscar as paredes…
Ele foi cortado pelo alto grito da mãe das meninas.
-Não fale assim dos seus filhos David! Elas são apenas crianças!
-Não fode Mary! Eu não quero ouvir suas desculpas inúteis! Já aguentei o suficiente com elas!
– E o que você pensa em fazer David?

A menina ouviu os passos altos vindo em direção ao quarto dela e ela abraçou ainda mais forte a pequena girafa.
A porta foi violentamente aberta e na porta estava o enorme e irritado pai segurando um livro grande e pesado em uma de suas mãos carnudas.
-Por favor! Pare com isso David! – Gritou a mãe.
O pai ignorou os gritos suplicantes de sua esposa. Ele agarrou a menina pelo pescoço, ela gritou, chutou, se contorceu e tremeu de medo. O pai das meninas ergueu o enorme livro didático em direção ao pequeno rosto da criança.
-Isso é pelos desenhos e rabiscos em minhas paredes! Sua vadia.
Anos mais tarde, a menina era conhecida como Natalie e agora tinha 17 anos de idade. Ela estava sentada em sua sala, assistindo TV. O pai dela estava gritando sobre economizar alguma merda, mas ela há muito tempo não dava a mínima ao que ele falava e continuava mastigando um pouco de pipoca.
Ela também estava fazendo um desenho. Usando bastante o lápis vermelho ela desenhava sangue, ela gostava de desenhar sangue. Era uma satisfação estranha. Fora isso, a multitarefa nunca foi um problema para ela. Desde mais jovem tornou-se evidente para ela que era capaz de fazer tantas coisas ao mesmo tempo. Desenhos acabaram se tornando seu talento e paixão. Era sua maneira de escapar da realidade, quando algo ruim preenchia sua cabeça ou quando ela estava simplesmente entediada.
-Bem, chegamos – Ela olhou para uma grande fachada na escolha que dizia “Instituto Walker Vill de belas artes”. Ela suspirou cansada e saiu do carro, colocando a mochila no ombro. – Até mais – disse ela fechando a porta do carro. Ela entrou na escola, conversou com um casal de amigos, depois foi até seu armário no terceiro andar, ela pegou seus livros e só então percebeu que estava 5 minutos atrasada, ela correu para a aula. Sua professora de inglês, já nervosa com o atraso, veio até a mesa de Natalie.
-Onde está sua atribuição, senhorita Natalie?
-Eu, hum.. Esqueci em casa.
A professora resmungou enquanto voltava à sua mesa: -Seu tempo acabou, Natalie, Não me decepcione.
Natalie parecia intrigada com esse pensamento por um momento. Ela não sabia por que, mas essas palavras pareciam derreter ela. Ela simplesmente ignorou e voltou a ouvir a aula, e adormecer não muito tempo depois, é claro.
Mais tarde naquele dia, ela estava indo para seu armário se preparando para o quarto período e de repente, seu namorado, Chris, veio até ela.
-Hey… Quero falar com você depois da escola, ok?
Ela sorriu carinhosamente para Chris, embora estranhamente, ela não esperava nada. Ele foi sempre um cara doce.
Durante as aulas de francês, ela não se atreveu a prestar atenção, em vez disso, ela rabiscou uma coisa que ela adorava desenha: sangue, gore, pessoas sendo esfaqueadas e facas. Outras pessoas dizem que é muito obscuro ela desenhar essas coisas, mas ela não via nada de errado com ele.
– Senhoria Natalie!
Ela rapidamente cobriu os desenhos em seu papel e olhou para seu professor de inglês.
-Sim…
Ele gesticulou para mover seu braço com uma leve virada de cabeça.
-Mostre o seu trabalho.
Ela hesitante moveu o braço para mostrar a imagem de alguém sendo esfaqueado. O professor olhou perplexo, olhando para ela e para o desenho. Ela sorriu nervosamente.
-Apague isso e comece a fazer seu trabalho – ele disse em um tom calmo. Ela suspirou de alivio e começou a apagar a imagem – E senhoria Natalie – Ela olhou para ele – Seu tempo esta quase acabando, comece a fazer seu trabalho. Sugiro que comece agora. De novo ela resmungou com essa observação. O tempo sempre parecia estar contra ela, na medida em que ela se importava o tempo que se foda.
Após a aula, ela saiu da escola para encontrar seu namorado em pé, perto da calçada. Ela sorriu e se aproximou, esperando que os problemas daquele dia fossem esquecidos perto dele. Mas quando ela se aproximou, seu sorriso desapareceu. Ele não estava sorrindo de volta como de costume.
-Chris, aconteceu alguma coisa? O que você queria me falar?
-Natalie, eu acho que chegou a hora de cada um seguir sua vida, em pouco tempo teremos esquecidos um o outro.
Ela sentiu seu coração partido
-Esta terminando comigo? Mas por quê?
Ele deu um olhar severo.
-É a sua mentalidade, seus desenhos, eles me arrastam para longe de você. Acho que tem algo de errado com você, e a parte mais triste é que não me diz por que está agindo assim. Faz-me sentir irresponsável, então eu só… Não posso mais fazer isso… Nosso tempo juntos acabou… Eu sinto muito.
E com isso ele começou a se afastar.

Natalie colocou suas mãos na pia do banheiro de sua casa. Ela se olhou no espelho, seus olhos estavam se contraindo.
– Eu não vou me machucar como os outros. Serei mais forte.
Havia uma agulha e uma linha preta na mão.
– É inútil, não vai ajudar – Alguma sensação estranhar puxou seu subconsciente. Ela riu um pouco. – Não, eu estou fazendo isso porque eu quero. – ela levantou a agulha e a linha até o final do mesmo. Ela sorriu amplamente. – O tempo acabou.
Pedaço por pedaço, corte após corte. Mesmo com a dor excruciante, ela não lamentou, ela não choramingou, ela não chorou. Não havia mais lágrimas para derramar, tudo que ela fez foi sorrir. O sangue das perfurações caia gotejando na pia. Quando ela terminou, ela não se arrependeu e admirou seu trabalho prático. Ela acariciou os pontos horrendos ao lado de sua boca que se espalhou eu um largo sorriso. Ela sentiu o sangue quente e úmido em seus dedos e o lambeu com cuidado, consumindo o gosto metálico do líquido em puro êxtase.
Ela parou quando viu sua mãe através do reflexo do espelho com os olhos arregalados e o rosto pálido. De repente, ela sentiu a dor e gritou:
-Mãe?
Ela nunca se sentiu tão confusa. O que aconteceu com ela?

Sua mãe agendou uma terapia para ela. Natalie se livrou dos pontos e percebeu quanta dor trouxe então ela foi para o terapeuta. Ela usava um capuz, para não deixar ninguém ver. Ela sentou-se no assento de couro e olhou para mulher de cabelos loiros em frente a ela em silêncio.
-Seu nome é Natalie, certo?
Natalie apenas balançou a cabeça.
-Eu sou Debora e estou aqui para ajudar. Por favor me diga, o que tem te perturbado ultimamente?
Natalie levantou a cabeça.
– Tempo. O tempo tem sido meu problema.
Debora olha confusa.
– Como assim o tempo?
As mãos de Natalie segura o couro do assento.
– O tempo obriga você a viver com ele, progride lentamente ao longo da vida, controlando a sociedade, apenas para me torturar. Ele é um ciclo vicioso, o tempo não acaba, não abrange, não acelera. Ele é violento e nós vivemos através da tortura de não saber o que é realmente o tempo, não podemos avançar dentro dele.
Debora não tinha ideia do que estava dizendo. A terapeuta se inclinou mais perto.
-Querida, eu quero que você me diga o que aconteceu com você.
Natalie a encarou nos olhos. Fez uma longa pausa, ela sorriu exibindo as perfurações dos pontos ligeiramente abertos novamente.
-Por que você não me diz loira oxigenada. Você é a especialista aqui.
Debora parecia ter um olhar de irritada.
– Eu não posso ajuda-la até que você me dia o que está de errado, Natalie.
Seus dedos começaram a rasgar o assento de couro.
– Natalie não está mais aqui, não mais.
Com isso, os olhos de Debora se arregalaram, ela se levantou.
– Eu já volto. Por favor, espere aqui.
Ela saiu deixando-a sozinha. Natalie não se moveu, ela sentou-se perfeitamente imóvel. Depois de um tempo natural de espera e de impaciência, seus pais finalmente entraram. Ela ficou feliz de ir embora, mas ela notou as expressões de seus pais. Mesmo seu pai, tinha um olhar entristecido e estranho em seu rosto. No caminho, ela pensou que estava voltando para sua casa, e começou a adormecer.
Estranhamente ela ouviu uma voz sombria falando em seu sonho. Era como se a voz ecoava em uma escuridão eterna. – “Seu tempo acabou” – Ela acordou agitada e suor rolava pelo seu rosto.
Ela não estava em casa, ela não estava no carro, ela estava em uma cama, uma cama branca em um quarto totalmente branco. Ela olhou ao seu lado, vendo que estava ligada a um monitor cardíaco. Ela foi se levantar, mas de repente percebeu que estava limitada para se mover. Ela entrou em pânico, ela tentou lutar, mas fez uma pausa quando ouviu a porta à sua esquerda ser aberta. Um homem em uma camisa branca olhou para ela, com as mãos atrás das costas.
– Você deve estar muito confusa agora, eu posso imaginar, mas vou te explicar, nós só estamos aqui para ajudar. Seus pais concordaram em assinar um contrato para lhe dar algumas drogas mentais, na esperança de ajudar seu estado de espírito.
Ela abriu a boca para protestar, mas foi rapidamente silenciada.
– Você estará de volta ao normal em pouco tempo. Apenas tente relaxar. O tempo é seu amigo agora.
Ele se aproximou. Ela tentou se afastar, mas não conseguiu devido aos laços em torno de seu pulso e pernas. Ele cuidadosamente pegou uma máscara e colocou sobre a boca e o nariz. Ela tentou se livrar, mas sentiu-se sob o efeito das drogas e os seus olhos lentamente se fecharam.

De repente, ela acordou. Ela não conseguia entender o que diabos estava vendo.
Ela estava levando injeções múltiplas, sentia-se tonta, mas muito consciente de seus arredores. Sua frequência cardíaca estava começando a acelerar no monitor e os médicos tomaram conhecimento disso, eles olharam para ver seus olhos abertos. Um dos médicos estava gritando com outro. Ela não conseguia entender sobre o que eles estavam falando, mas de repente ela sentiu uma descarga de adrenalina e começou a tremer violentamente. Um dos médicos indo para segurá-la, mas por algum motivo hesitou em fazer isso. Todos os três médicos recuaram. Ela estava na beira da cama agora e arrancou a máscara e o tudo de seu braço, ela se levantou, começando a tropeçar, sua respiração engatou, sua visão ficou embaçada. Ela não conseguia se mover e de repente sentiu forte dores no peito. Ela agarrou o peito, onde seu coração estava, caiu de joelhos e cuspiu sangue, em seguida caiu no chão desmaiando.

Ela acordou lentamente, ela estava de volta na cada e os médicos estavam sentados ao seu lado. Algo deu terrivelmente errado, ela não sabia o porquê, mas sentia ódio contra o médico. Ele notou isso e desviou o olhar.

– Você não devia ter acordado enquanto estávamos dando-lhe as doses. Nós não sabemos como isso afetou você mas temos a sensação que vamos descobrir.

Ele parou por um segundo, antes de lhe entregar um pequeno espelho, sem olhar para ela.

Ele queria mostrar um efeito sobre sua aparência também, Ela se olhou no espelho. Seus olhos se arregalaram. Eles eram completamente verdes! Ela notou que ainda tinha a costura em sua boca, e por alguma razão ela se sentiu feliz. Sua frequência cardíaca começou a aumentar novamente, ela deu uma risada baixa. O médico olhou em choque vendo que ela estava de pé a poucos metros dele,

– Doutor – Ela disse, ainda rindo.

Ele tremia um pouco, pressionando um botão debaixo do monitor.

– Sim?

– Seu tempo acabou.

Um grito foi ouvido pelos corredores do hospital. Dois seguranças correram para o quarto, chutando a porta aberta. O sangue foi a primeira coisa que eles viram. Sangue nas paredes, cama, chão e até mesmo no teto. Natalie tinha levado o médico e amarrado na cama, sua coluna foi completamente fixada na cama que estava inclinada quase como um sanduíche e o corpo dele dobrado em uma posição anormal.
O sangue escorria de seus olhos, nariz, boca e lá no canto estava assassina, sorrindo, tirando fotos horríveis das paredes cheias de sangue seguida pela frase: “ Seu tempo acabou”.

Ela lentamente se virou para olhar para eles, com os olhos arregalados e um sorriso insano espalhado pelo seu rosto.

-Olá amigos, querem brincar?

A policia sacou rapidamente e antes que eles pensassem em atirar, ela rapidamente corre em suas direções com um canivete e faz um corte profundo, na linha da cintura, sangue e órgãos inundam e o policial cai no chão. O outro sacudiu a cabeça com medo, deixando sua arma cair. Ela caminhou lentamente até ele colocou a ponta da faca em seu peito.

– Seu tempo acabou.

Ela deslizou lentamente a faca para baixo percorrendo o caminho até seu intestino. Seus órgãos derramam no chão e logo depois seu corpo cai morto.


A mãe de Natalie estava dormindo em silêncio ao lado do seu marido. Ela acordou ao som de alguém batendo em sua porta, ela se levantou e saiu de seu quarto para ir abrir a porta. Chovia lá fora. Ela caminhou até a porta e parou quando estava prestes a agarrar a maçaneta. Ela ouviu um fraco riso, a chuva e o trovão parecia estar mais silencioso. Ela pressionou o ouvido contra a porta.

-Olá mãe.

Natalie chutou com força extrema, abrindo violentamente a porta, ela estava com duas facas na mão. Sua mãe cambaleou para trás, batendo a cabeça contra a chapeleira, ela agora sangrava incontrolavelmente, ela caiu no chão, paralisada, mas ainda consciente. Natalie se elevava sobre ela e lentamente se ajoelhou para ficar ao nível de seus olhos e lhe mostrou duas facas coberto de sangue grosso, vermelho.

– Eu estava sofrendo mãe – Ela passou a ponta das facas em sua bochecha cortando ligeiramente. Natalie inclinou a cabeça. – Você foi fraca. Você não fez nada – Tudo que sua mãe podia fazer era agitar e suspirar constantemente, como um peixe fora d’agua. Natalie pegou sua mãe, virou-a gentilmente, montou em cima dela e começou a fazer um “V” com um corte em seu peito. Sua mãe apenas suspirava e balançava. Natalie sabia que ela não tinha muito tempo de sobra. Ela começou a forçar e abrir a cavidade torácica de sua mãe com um alto estalo. Natalie coloca a mão dentro para pegar seu coração que bate lentamente em sua mão, pulsando cada vez mais fraco e mais fraco. Então ela o arrancou, o sangue se espalhou por todo o seu rosto. Ela olhou fixamente para sua mãe nos olhos enquanto ela morria lentamente.

– Bons sonhos – Ela disse para o cadáver de sua mãe – O seu tempo acabou.

Ela colocou o coração na boca de sua mãe, acariciando seu rosto suavemente e se levantou.


O pai de Natalie, David tinha acordado ao perceber que sua esposa não havia retornado. Seus olhos começaram a se ajustar à escuridão e de repente percebeu que Natalie estava ao lado da cama, sorrindo loucamente e com os olhos verdes brilhando na escuridão. O Sangue estava por todo seu corpo e o cheiro era insuportável. Ela fez uma expressão de uma falsa tristeza.

-Oh papai, a mamãe se foi! Agora quero saber quem vai conseguir dinheiro pra te bancar – Então ela agarrou seu pai pelo pescoço – Era só com isso que você se preocupava não é? Dinheiro era a única coisa que você gostava!

Seu pai, no entanto era lutador desde que criança, ele agarrou-a pelo pescoço e jogou-a no chão. Ele começou a bater em seu peito até que ela começasse a tossir sangue.

-Não se sente bem, papai? – Ela tossiu mais sangue – Afinal de contas, você nunca se importou com nó todos esses anos, não é?

Ele estreitou os olhos;

– Você não é minha filha!

Um sorriso largo espalhou pelo seu rosto e ela olhou para ele com os olhos brilhantes enquanto o sangue escorria de sua boca.

-Você está certo! Eu não sou sua filha!

De repente, ela o tropeçou, fazendo-o cair duro no chão, ela se levantou, com suas facas nas mãos.

– Eles dizem que quanto maior você for, mais difícil é para morrer!

Ela pegou um travesseiro e colocou em seu rosto e então começou a esfaquear fazendo que a lâmina atravessasse o travesseiro acertando o rosto de seu pai, e a cada golpe ele ficava menos agitado e o som de desespero diminuía.

Quando ela jogou a travesseiro para longe, seu rosto estava horrivelmente mutilado.
Ele estava gemendo, chorando de dor.

– Qual o problema, papai? É dor demais para você? – Ela ainda estacou suas duas facas em seu estômago, puxou a cama para mais perto dele e levantou-a colocando um os pés da cama sobre a faca e soltando para que todo o peso pressionasse sobre o corpo. Ele começou a engasgar e o sangue derramou de sua boca, sua respiração ficou em silêncio. Ela subiu na cama para exercer mais pressão sobre o peso e então seus órgãos explodiram para fora de seu corpo. O desagradável sangue preencheu todo o chão e os lados de seu rosto.
– Seu tempo acabou.

Agora, essa seria sua parte favorita. Ela discretamente esgueirou-se para o quarto de seu irmão. Silenciosamente abriu a porta com o sangue escorrendo de sua boca. Seu irmão não estava na cama, era evidente que ele deve estar escondido em algum lugar


– Irmão, irmãozinho – Ela começou a caminhar pra dentro. – Tudo o que eu queria, era fazer você se divertir um pouco. – Quando ela entrou mais, ela ouviu atentamente para qualquer som, qualquer respiração. Ela ainda cheirou o ar para seu cheiro pútrido, ela finalmente percebeu algo. Um barulho de respiração fraca.
* WHACK *

Ela caiu no chão tremendo. Seu irmão estava atrás dela com um taco de beisebol agora sangrento. Ele estava olhando para baixo com raiva. Ofegante de raiva, ela tentou lentamente se levantar, mas ele bateu nela novamente.

– Mamãe sempre gostou mais de você! – Ele bateu com força uma última vez antes de tomar um fôlego. Ela estava sangrando muito. Seus olhos verdes caíram, brilhando fracamente na escuridão. Sentia-se fraca e olhou mais de perto até o teto. Ela lembrou os dias que ela passou por aqui. Sendo torturada, tendo que apanhar de seu pai pelas travessuras que seu irmão fazia, pelos desenhos nas paredes que ele rabiscava de propósito para ela levar a culpa. Ela sentiu uma onda repentina de energia para seu corpo. Ela começou a rir insanamente. Seu irmão tentou atingi-la novamente, mas ela usou sua mão para bloquear.

– Você está indo para o inferno, irmão.

Com um grande impulso, ela empurrou seu irmão sobre a cama e ele bateu com a cabeça contra a parede. Ele rosnou com raiva. Ela esfaqueou as duas facas em seus braços, mantendo-o preso à parede. Ele gritava e se debatia.

– Vamos ver o que podemos usar aqui.

Ela começou a andar ao redor da sala e sorriu, vendo uma faca de manteiga em seu lado da cama. Ela pegou e caminhou até ele.

– Eles dizem que os olhos são os órgãos mais macios do corpo.

Ela lambeu a faca. Ele olhou com horror quando ela começou perfurava seus olhos. Ele gritou em voz alta e ela rapidamente amarrou um pano em volta da boca.

– Shhh. Não queremos que você acorde os vizinhos.

Ele não era capaz de ver nada e a dor era insuportável. Sangue vazou violentamente de suas órbitas. Ele chorava, mas agora era incapaz. Ela pegou uma tesoura e caminhou até ele.

– Eu acho que você precisa se ​​soltar, irmão.
Ela esfaqueou a tesoura em seu intestino e ele gritou. Ela o tratava como um trabalho de artes: cortando sua pele como papel. Ela levantou os grandes intestinos.
– Você sabe que eu te amo? Macarrão artistico!

Ela começou a cortar os intestinos em seções.

– Estes podem ser um pouco grande demais para caber em uma placa, no entanto.

Ela desceu para os dedos dos pés e começaram a rachar-los um por um. Em seguida, ela quebrou os dedos. Ele se engasgava em seu próprio sangue agora. Ela puxou o pano para baixo e sangue derramou de sua boca.

– Não, não irmão. Talvez isso vai fazer você se sentir melhor.

Ela colocou os dedos em sua boca, em seguida, enfiou em sua garganta. Ele engasgou e morreu.

– Seu tempo acabou.
A menina conhecida como Natalie entrou em seu quarto. No canto, viu sua girafa de pelúcia. Ela olhou para ele e, sem uma palavra, ela entrou no banheiro. Olhou-se e ouviu um barulho de uma pequena engrenagem. Ela olha para baixo e vê um relógio de bolso, ela olhou para ele. Ela pegou uma de suas facas, pegou o relógio de bolso e desmontou o relógio até que apenas o pequeno relógio foi deixado.

– O tempo faz você viver por meio de tortura. – Ela disse. Então começou lentamente a remover sue próprio olho esquerdo que ficou embaçado e vermelho. O olho caiu na pia. Houve um som de estalo que parecia que o relógio se encaixou perfeitamente em seu olho.
– Eu… Sou… Clockwork.
A jovem que antes era conhecida como Natalie se afastou de sua casa em chamas. No interior, a girafa lentamente queimava, juntamente com corpos de sua família.


O Canal do cara e : SigmaTerror #CreepyArmy

Luuh ~